● All Hell Breaks Loose: X-Over - 5.ª Parte

07 junho, 2013
Raven das Chamas Negras era uma espécie de Semi-Deus, o Guardião do Equilíbrio, uma criatura mais antiga que todas, que fora presa numa dimensão obscura conhecida como Abyss, por Red Roger e Seraph, após quase ter destruído os três Universos. O Jubilee estava farto das constantes batalhas entre Anjos e Demónios, pelo controlo das Almas Humanas e por isso decidira que esta luta só poderia terminar quando não uma, mas as duas raças desaparecessem por fim. Depois disso, recriaria o Universo à sua imagem, sacrificando toda a vida nele presente por este objectivo.
Red Roger e Seraph, decididos a sobreviver, uniram-se numa aliança única entre as raças irmãs para utilizar um poder secreto e selar a criatura no Abyss, a Dimensão Proibida, a qual só seria reaberta quando sangue humano, angelical e demoníaco fosse derramado num mesmo local e em quantidades consideráveis. Para evitar isso, foram criadas Tréguas que impediriam qualquer tipo de confronto entre os rivais, mas esta história da única aliança entre Anjos e Demónios foi perdida, pois o orgulho era grande demais para permitir que alguém se recordasse dela.


A Legião dos Anjos estava agora espalhada pela Terra, com o único objectivo de proteger as pessoas e impedir que Raven absorvesse mais almas. Conscientes da exposição que esta estratégia provocava na Torre de Marfim de Edenia, que ficava completamente desprotegida, o Grupo composto pelos EXtremes, ARM, SOMBRA, e Seraph atravessou a fronteira e encarregou-se de proteger o Santuário dos Anjos, que seria certamente o próximo local atacado por Raven, que precisaria de absorver uma grande quantidade de Almas Puras para levar o seu objectivo avante.
Ao chegarem à Torre, tudo parecia calmo. Apesar das enormes quebras no céu púrpura, este permanecia cintilante e estrelado, não dando nunca a entender o cataclismo que se abatia sobre os universos e que podia levar ao seu fim. A leve brisa que soprava enchia-os de esperança, enquanto a magnificência da Torre de Marfim lhes transmitia uma sensação de segurança, garantindo-lhes que nunca seria profanada… Ledo engano, pois apenas alguns segundos depois, o vento tornar-se-ia violento, o céu coberto de nuvens, e a calma harmoniosa dava origem a uma tempestade caótica que engolia aquele belíssimo mundo, assinalando o início da batalha final!
Com um enorme estrondo, Raven surgiu, criando mais devastação, mas não vinha sozinho, pois Lance e os seus Príncipes do Inferno seguiam-no fielmente. Lance não se mostrou surpreendido em vê-los ali e garantiu a Raven que se encarregariam de acabar com quaisquer intrusos que pudessem atrapalhar os seus planos. Sem mostrar qualquer tipo de preocupação, Raven partiu para o topo da Torre, deixando a batalha nas mãos dos Demónios, que agora podiam ter a sua desejada desforra.

Mal viu Raven desaparecer, Seraph pediu a Kaiser que o seguisse e deixasse o resto com eles. Kaiser olhou fixamente para Lance, o seu grande rival demoníaco de longa data, e só após alguns segundos de reflecção decidiu que a melhor escolha era mesmo deixar esta frente para os companheiros e partiu rapidamente puxando Alex e levando-o com ele. Alex debateu-se, pois não podia pensar em deixar os amigos para trás numa situação destas, mas Kaiser acalmou-o, garantindo ao jovem que os seus amigos eram fortes, e ele devia mostrar-lhes toda a sua confiança, deixando esta importante batalha nas suas mãos. Todos tinham uma missão e aquela era a deles. Alex compreendeu as palavras do demónio, mas mesmo assim não se conteve e lançou um grito aos amigos, pedindo-lhes simplesmente que não morressem.
Esta reacção provocou uma sucessão de sorrisos em todos os que ouviram, e uma expressão de desdém de Lily que notou que Alex não conseguia de forma alguma ter uma partida silenciosa. Mas esta não era hora de diversão, pois à sua frente tinham a Elite das Elites, a Guarda Real do Inferno, e nenhum deles estava com intenções de deixar sobreviventes.

A batalha decisiva iria começar finalmente. Papier e Shade estavam com o Príncipe Líder, Lucifer, pela frente, numa tarefa titânica que teriam que superar, mas os companheiros não tinham a vida mais facilitada: Lily iria enfrentar Wrath; Marion tinha Beel como oponente; Levi ficou entregue à dupla Rafa e Miguel; enquanto Zack pediu a ajuda específica de Sara para derrotar Asmodeus. A Divisão ARM e os SOMBRA ficaram encarregados de Mammon e Belphegor respectivamente.
Nos céus acima das suas cabeças, Seraph já empunhava a Silver Rose, o seu simples mas letalmente lendário Florete para defrontar pela última vez os Punhos Demoníacos das Chamas Azuis de Lance.


Na Torre de Marfim, a perseguição a Raven continua. Kaiser e Alex sabem que dificilmente conseguirão vencê-lo, mas têm que fazer tudo o que for possível para atrasar ao máximo o Jubilee, para dar tempo aos amigos de derrotar os adversários, pois só nessa altura terão hipóteses reais de vitória.
Chegam por fim ao 108.º Nível da Torre, onde Raven os esperava. Atrás dele estava uma porta enorme, que certamente seria decisivo para o seu objectivo, mas o Semi-Deus não estava interessado em companhia, por isso decidiu fazer duas invocações para lidar com os invasores.
Ravem afirmou tê-los encontrado no Limbo do Abyss, onde vagueavam sem rumo pelo resto da Eternidade, mas esta última oportunidade de lutarem novamente iria deixá-los bastante satisfeitos. Numa pose ameaçadora, levantou os braços e o ar quebrou-se à sua frente, criando duas aberturas por onde escaparam duas figuras obscuras cuja presença provocou calafrios tanto em Kaiser como em Alex: eram nada mais nada menos que Ramiel e Ashura, remasterizados com Relâmpagos e Gelo Negros, respectivamente e bem à imagem da escuridão que emanava do seu novo Mestre.
Por entre gargalhadas alucinadas e movimentos aleatórios que irritavam Kaiser terminantemente e deixaram Alex estupefacto, os dois Ressuscitados pararam subitamente de se mover, apenas para no momento seguinte se lançarem contra os dois rivais e lançaram-se com eles através da parede para o exterior. Raven não aprovava a destruição provocada na Torre, mas sem se importar dirigiu-se para a sala atrás de si, para prosseguir conforme o planeado.

Na base da Torre, as batalhas continuavam e sem vencedores à vista. Papier e Shade estavam a ser completamente derrotados por Lucífer, Lily e Marian, bastante experientes, conseguiam usar bem os seus poderes e estavam a aguentar-se surpreendentemente bem contra a chamada Elite do Inferno, bem como Zack e Sara, que graças à impressionante seriadade do Mestre (que deixou o seu lado pervertido e brincalhão de lado e concentrou-se realmente na luta) e à agilidade da jovem, que não se deixou impressionar com o poder explosivo do seu colega veterano, conseguiram equilibrar bem as suas lutas e tinham boas chances de vitória.
Por outro lado, Rafa e Miguel passavam por grandes dificuldades. Eles eram grandes amigos, mas o trabalho em equipa nunca foi o seu ponto forte, e como Alex fora sempre a cola que os unia, sem o equilíbrio que este lhes dava, a sua rivalidade vinha ao topo e entravam constantemente em desacordo, o que facilitava a vida ao experiente Levi, que sabia exactamente o que fazer para os provocar.
A improvável união entre ARM e SOMBRA, também não estava famosa, os dois grupos nunca se suportaram e AK, Knox, Valliachi e Mallow mantinham há muito tempo rivalidades flagrantes com os NeroSlayers. Apenas por uma vez trabalharam juntos e foi algo que, garantiram, nunca mais se repetiria. Agora estão lado a lado mais uma vez, mas esses sentimentos permanecem fortes e nem os seus líderes Zed e Black, conseguem melhorar o ambiente de repúdio que se vive entre os aliados e que os Demónios estão a aproveitar!

Papier e Shade voltaram a cair com estrondo frente às investidas de Lucífer, mas sem nunca desistir, reergueram-se novamente e a muito custo, algo que alegrou Lucifer, não interessado numa batalha monótona, que aproveitou para os felicitar pela coragem que demonstraram até aqui, mesmo sabendo que a vitória era algo inalcançável, bateram-se com grande determinação e por isso terão uma morte digna de grandes guerreiros, com uma espectacular decapitação em praça pública! Tal momento servirá também para desestabilizar todos os restantes membros desta inusitada Aliança que, desta forma, será facilmente derrotada pelos restantes Príncipes.
Os jovens sorriram com o discurso de Lucifer, garantindo que a Aliança estava de perfeita saúde e iria vencer todos os obstáculos que se apresentassem à sua frente, pois esta era a natureza humana, sempre saía fortalecida de cada batalha enfrentada; de cada vez que era atirada ao chão sempre se reerguia e por essa razão, simplesmente por nunca desistir, seria impossível derrota-la.
Ao dizerem estas palavras, os corpos dos jovens começaram a brilhar intensamente, e para terror de Lucifer, o brilho começava a tomar formas distintas que se tornavam cada vez maiores e mais expressivas: Bahamut e Odin respondiam ao chamamento dos seus Mestres e entravam em campo para decidir o rumo da batalha!


No topo da Torre, num dos inúmeros “Andares” de Edenia, Alex e Kaiser batiam-se contra Ramiel e Ashura respectivamente. Os seus adversários pareciam não ter exactamente racionalidade, como se tivessem sido apenas parcialmente trazidos de volta, respondiam apenas instintivamente, mas em compensação estavam muito mais fortes que antes. As vibrações que sentiam vindas do campo de batalha não os animavam, mas eventualmente notaram o crescimento monumental de poder de Papier e Shade, o que só queria dizer que eles conseguiram dominar as suas Bestas. Alex mostrou-se impressionado com o crescimento dos companheiros EXtremes e motivou-se com ele, decidido a não ser derrotado por eles.
Kaiser notou o impressionante poder da Alma humana. Bastou um breve momento para mudar completamente o ambiente que se vivia e todos estavam agora motivados a vencer, para tal bastou a determinação dos jovens, que nunca desistiram e finalmente estavam a conseguir alguns resultados.
Alex olhou para Kaiser e, sem necessidade de quaisquer palavras, os dois decidiram acabar com tudo num único golpe. Elevaram as suas chamas ao máximo e, numa autêntica erupção de poder, atacaram as versões sombrias dos antigos rivais, destruindo-os completamente.
Era tempo de voltar à Torre e enfrentar Raven, mas a visão que se seguiu foi assustadora.

A outrora cintilante e brilhante Torre de Marfim estava agora a ser manchada de Negro enquanto tremia violentamente. Esta agora começava a surgir nos outros dois Mundos, Terra e Gaia, o que culminaria na fusão completa dos Universos. Raven continuava o seu plano de recriar o Universo e a violação da Torre era um passo que poderia significar o Ponto Sem Retorno.
Os demónios rejubilavam com este desenvolvimento, mas tal não desmotivou a Aliança que se mantinha confiante na vitória, não deixando fugir a recentemente conseguida vantagem.
Lance aproveitou para provocar Seraph, dando início à Nova Era dos Demónios, mas Seraph não partilhava desse sentimento e garantiu a Lance que Raven não salvaria os demónios, mas as suas palavras não tiveram qualquer efeito no Rei Demónio.


O 108.º Nível da Torre Negra foi abalado com um enorme estrondo que, no entanto, nunca assustou Raven que já esperava que Alex e Kaiser chegassem mais minuto menos minuto.
O Jubilee garantiu que já nada podia ser feito. Mal a Torre se materializasse totalmente nos Três Universos ele estaria pronto para absorver todas as Almas Puras de Edenia, para iniciar a criação do Seu Universo. Na última vez que tentou, foi parado pela impensável união entre Anjos e Demónios, mas desta vez, graças à sua promessa de poupar os demónios, tal oposição estava fora de questão. Kaiser replicou garantindo que não seria enganado por promessas vazias. Raven nunca gostou das guerras entre Anjos e Demónios e estava disposto a acabar com os dois, nunca pouparia os mesmos demónios que foram responsáveis pelo seu aprisionamento, por mais que a sua libertação tenha sido obra dos mesmos. Raven sorriu mantendo-se em silêncio, o que atiçou a ira de Kaiser, que estava prestes a perder a paciência.
Alex manteve-se calmo e tentou acalmar o companheiro. O jovem dirigiu-se a Raven, decidido a derrotá-lo completamente e depois disso, se tal fosse necessário, destruiria a Torre Negra para impedir a Fusão dos Universos. Não importava o que fosse necessário, ele tudo faria para proteger a sua casa e os seus amigos.
Kaiser, agora completamente calmo e sem dizer uma palavra, colocou a mão esquerda no ombro de Alex e fixou Raven. Este seria o momento em que acabaria a missão de Red Roger que abandonou o seu mundo para preparar uma Força capaz de sobreviver a este dia. Ele não iria desapontar o seu “Pai”. O seu corpo transformou-se em chamas e fundiu-se mais uma vez com o corpo de Alex, pronto para destruir o Semi-Deus.

Raven mostrou-se divertido, enquanto o jovem acelerou rapidamente para o atacar, ataque que o Jubilee evitou sem grandes problemas, ou assim pensou. Após o ataque de Alex, a aura de chamas que envolvia ganhou vida e desferiu um soco monumental que deixou Raven sem reacção. Este acabou por se recuperar rapidamente e observou Alex atentamente, notando que a sua aura estava claramente diferente.
Alex sorriu e concentrou ainda mais o seu poder, fazendo a aura crescer. Raven não escondeu o espanto ao notar que as chamas se tornavam numa espécie de forma espectral de Kaiser, que complementavam o estilo de luta agressivo de Alex.
Raven estava impressionado mas nem por isso assustado. Alex aproveitou para atacar novamente, enquanto invocava Chaos, mas nem isso foi suficiente para voltar a atingir o Jubilee. No primeiro golpe, foi o efeito-surpresa que permitiu o seu sucesso, mas agora estava em completa desvantagem perante o poder esmagador de Raven que dominou Alex completamente.


Na base da Torre, a batalha tinha terminado. Graças a Papier e Shade, que invocaram com sucesso Bahamut e Odin, ganhando vantagem sobre Lucifer, todas as rivalidades existentes no campo foram superadas e a força de vontade da Aliança conseguiu levar de vencidos os Príncipes do Inferno. Depois da batalha terminada, Lily, Marian, Rafa, Miguel, Sara, Papier e Shade dirigiram-se rapidamente de encontro a Alex e Kaiser, enquanto os restantes ficaram, à espera do desfecho da luta entre Seraph e Lance.
A batalha continuava sem vencedor definido, mas o espírito de Lance começava a quebrar. Para Seraph, Lance sempre soube que Raven iria acabar por eliminar todos os demónios, mas ainda assim, ele quis libertá-lo para levar de vencida a Guerra milenar com os anjos, mesmo que isso significasse o fim também da sua raça. Lance estava profundamente irritado e declarou-se decidido a fazer dos Demónios os Mestres do Universo, nunca limitados a um só mundo e ele tornar-se-ia num Rei infinitamente melhor que o sei Pai, que abandonou a sua raça para manter uma cruzada que se revelou inútil.
Seraph ripostou dizendo que Roger fez tudo para dar paz à sua raça, conseguindo as tréguas e preparando o terreno para que, caso estas quebrassem, a esperança se mantivesse. Tudo o que ele fizera tinha sido por ele e pelos súbditos e fora Lance, o próprio filho quem deitara tudo a perder. Mas ainda não era tarde, Lance podia redimir-se e ajudar a derrotar Raven, pondo um fim a este pesadelo e oferecendo uma nova e definitiva paz aos Três Universos.
Eventualmente, Lance deixou de se debater e Seraph conseguiu acertar-lhe com um golpe definitivo que fez com que o demónio caísse inanimado em direcção ao solo. O Arcanjo agarrou-o pelo braço e aparou-lhe a queda.

O grupo que entrou na Torre alcançou por fim o 108.º Nível, mas o espectáculo que encontraram foi devastador! Alex estava caído no chão completamente coberto de sangue e sem se conseguir mexer. Os amigos não conseguiam acreditar que aqueles dois, que sempre conseguiram ultrapassar todos os obstáculos e que sempre que se juntavam eram invencíveis, tinham sido derrotados sem sequer terem arranhado Raven.
Papier e Shade empunharam as espadas em partiram para cima de Raven, mesmo sem qualquer tipo de estratégia definida. Rafa, Miguel e Sara seguiram-nos, mas Lily e Marian ficaram imóveis.
Seraph contara-lhes do método que fora usado para selar Raven no Abyss. Exigia uma quantidade monumental de sangue humano, demoníaco e angelical, de tal forma que quem tentasse realizar o ritual dificilmente sobreviveria. Realisticamente, notaram que Alex perdera uma quantidade enorme de sangue, o que por si só provavelmente cobriria a quota de sangue humano, mas precisavam das outras duas raças, por isso decidiram que era tempo de, também elas, cumprirem um papel importante: Lily ajoelhou-se junto a Alex, acariciou-lhe o cabelo e, qual samurai, cometeu “harakiri”, cortando o estômago e deixando o sangue fluir. Marian seguiu-lhe o exemplo e segundos depois perdeu a consciência.
Os três tipos de sangue estavam por fim juntos e um novo mas pequeno portal para Abyss abriu-se.

Raven notou a inesperada evolução de acontecimentos e os EXtremes não ficaram indiferentes aos sacrifícios de Lily e Marian. Uniram-se num último ataque contra Raven, mas nem isso foi suficiente para o atirar para o portal e foram repelidos, caindo próximos dos amigos inanimados.
O Semi-Deus preparava-se para os eliminar quando foi travado por uma explosão azul! Lance surgiu segurando Raven, enquanto Seraph tentou devolver algumas energias a Alex, Lily e Marian, salvando as suas vidas. O Arcanjo notou ainda que precisavam de mais sangue para prender Raven com sucesso.
Os EXtremes ergueram-se rapidamente e todos eles cortaram o pulso esquerdo para suprir o que pudesse estar em falta. O Líder dos Anjos e o Rei Demónio teriam agora que acabar o que começaram e também eles oferecer o que faltava par que o plano fosse bem-sucedido.
Raven foi apanhado completamente desprevenido, e prestes a perder a paciência, afastou Lance com um estrondo, mas desta forma acabou por criar uma abertura nas suas defesas e permitiu-se ser empalado por Papier e Shade. Com a sua mobilidade reduzida e com o portal a aumentar de tamanho, o pânico tomava conta de Raven que se tentava libertar a todo o custo enquanto gritava furiosamente.
Num último esforço, Alex, empunhando a katana de Lily e com todo o restante poder e determinação de Kaiser do seu lado, perfurou-lhe a boca e enquanto Papier e Shade retiraram as espadas, utilizou um Burning Red para o atirar com violência para a prisão de onde nunca devia ter saído.

Raven estava aprisionado novamente, mas a Torre Negra continuava a sua materialização na Terra e em Gaia, por isso tinha que ser travada. Sem grandes hipóteses para o fazer, o grupo teve que usar o pouco poder que lhes restava para destruir por completo a base da Torre, provocando o seu colapso. Marian estava preocupada com as repercussões de tal acto, mas Seraph acalmou-a declarando que aquela era uma Torre Negra e maligna e que a Torre de Marfim dos Anjos seria reerguida novamente.
Num último acto conjunto, a Torre acabou destruída de forma espectacular e com ela, todos os traços de Raven estavam eliminados, o que provocou o desaparecimento das quebras nos céus e o fim da Fusão dos Universos.

Seraph garantiu por fim que a memória da humanidade seria alterada para evitar males maiores e toda a devastação no mundo seria atribuída a uma série de desastres naturais que afectaram o globo. Esta não era uma decisão unânime, mas a existência desta Guerra e de tais entidades sobrenaturais era algo grande demais para ser compreendido pelas pessoas de ânimo leve, por isso era provavelmente a solução mais acertada, para que a vida voltasse ao normal da melhor forma possível. A Divisão ARM garantiu estar pronta para minimizar ao máximo o sofrimento das pessoas afectadas e este acto foi bastante tranquilizador.


Nessa noite, Alex, Kaiser, Lily, Marian, Rafa, Miguel e Sara encontraram-se com Papier no bar Avalanche 21, onde celebraram incessantemente com os seus amigos, AK, Knox, Valliachi, Mallow, Sophia, Jessica, Diego e até Cristina. A atenção dos festejos foi roubada por uma notícia impressionante de uma doação anónima de cem mil milhões de euros aos afectados pela devastação natural, números tão ridículos que Papier concluiu só poderem vir dos SOMBRA, a quem dedicaram vários brindes que se seguiram ao longo da divertida e merecida noite de festa.

A vida regressou por fim ao normal. Alex, Rafa e Miguel continuam a viver juntos, com a presença constante de Kaiser, Lily continua a ser a parasita da casa e Marian, apesar do seu lugar em Edenia restaurado, passa grande parte do seu tempo com eles, tal como Sara que também é presença assídua!
Os Demónios já não aterrorizam as pessoas e os Anjos não estão loucos por Almas, isto porque uma nova Trégua foi implementada e esta sim parece verdadeiramente pacífica, mas os dias nunca serão calmos e o futuro permanece um mistério, por isso nunca se sabe quando uma nova aventura pode começar!


Comentários
6 Comentários

6 Comentários :

  1. Alexandersson disse... :

    Final em grande e sempre com reviravoltas até ao fim! Parabéns!

  1. Room401 disse... :

    Final épico para uma trilogia épica. Ficou muito bom e espero que continues a escrever.

  1. Dih disse... :

    Eu continuo a perguntar-me como é que tu tens paciência para escrever tanto e eu para ler o tanto que escreves hihihi ficou muito fixe como sempre. (^.^)

  1. Winchester disse... :

    Batalha final épica como era de esperar, só espero que não tenha sido um fim definitivo...

  1. Denim disse... :

    O final foi um bocado cliché mas isso não é mau acho que combina com a história. Ficou porreiro!

  1. Mais uma vez muito obrigado por todos os vossos comentários (isto começa a tornar-se repetitivo lol) e por terem acompanhado o blog até até aqui!

    Vem aí mais um marco importante para o The Grand Chaos, conto com vocês para o acompanharem, e esperem por mais aventuras de Kaiser e cia.

    Beijos e/ou abraços!

Enviar um comentário

Não se esqueçam de deixar as vossas opiniões, porque há sempre uma palavra a dizer, por mais pateta que possa parecer! xP

 
The Grand Chaos © 2012 | Ready To Rock