● All Hell Breaks Loose: X-Over - 4.ª Parte

24 maio, 2013
O campo de batalha estava completamente em silêncio. Os passos de Raven ecoavam agora por toda a ilha e o temor dos soldados aumentava à medida que a sua aura altamente intimidadora se espalhava e o terror que sentiam só crescia. O ser misterioso emergiu finalmente e com um pequeno salto passou por fim para o nosso universo. Calmamente, e como que ignorando todo o aparato à sua volta, fez pequenos exercícios para desentorpecer os músculos.
Depois de alguns segundos em que se limitou a observar o mundo à sua volta, e em que ninguém teve coragem de mexer um músculo sequer, o Jubilee levantou o braço, quase a pedir autorização e perguntou aos presentes quem tinha sido o responsável pela sua libertação após tantos séculos. Lance retribuiu o gesto e, também com o braço levantado e aproximando-se lentamente, respondeu com um sorriso no rosto que todos os presentes foram responsáveis, mas foi a raça Demoníaca quem colocou o plano de resgate em prática.
Raven ficou a pensar durante algum tempo, enquanto o Rei dos Demónios se aproximava, e acabou por, despreocupadamente, reconhecer Lance como o filho de Red Roger, um dos principais responsáveis pelo seu encarceramento. Tais palavras levaram Lance a abrandar o passo e a abandonar o seu sorriso, mas Raven soltou uma estridente gargalhada em seguida, que espalhou ainda mais a tensão por todos os soldados, independentemente da raça, e que agora se transformava em desespero.

O Semi-Deus declarou então não ter qualquer tipo de interesse no desentendimento que acontecia bem à sua frente, mas como forma os demónios a iniciar a sua libertação, ele teria que recompensa-los de alguma forma… dito isto, levantou os braços e uma quantidade enorme de chamas negras minúsculas foram libertadas das suas mãos, erguendo-se nos céus em colapso.
Com o presente entregue, Raven virou costas e desapareceu. Lance sorriu e deliciou-se ao vislumbrar a terrível chuva de chamas que se abateu sobre os humanos, e que atingiram grande parte deles, com poucas centenas a conseguirem desviar-se quase instintivamente. Mas o pior estava ainda para vir, pois aqueles que eram atingidos pelas chamas negras sofriam um destino temível. As suas almas eram queimadas e, entre gritos de agonia e desespero, transformavam-se numa espécie de zombie totalmente diferente de tudo o que já tinha sido visto. Ao contrário dos Sem-Alma comuns, esta espécie era bastante mais forte e mantinha todo o seu intelecto, o que os tornava num perigo público devastador.
Com toda uma nova onda de reforços, o lado demoníaco liderado por Lance estava agora em clara vantagem, e cada vez mais, o lado humano fica mais e mais vulnerável.
Seraph não podia perder a moral das suas tropas, por isso não podia perder mais tempo e tinha de atacar com tudo o que tinha. Invocou então Ultima, até recentemente a única besta domada por um anjo, que resplandecente espalhou o seu brilho que levantou imediatamente a moral dos Anjos que se viam atacados agora por duas frentes.
Lance não quis ficar atrás e chamou Zodiark, tida como uma Besta lendária e de um poder imensurável, que claramente fazia jus ao seu nome real. A batalha com o líder dos Anjos recomeçou então, seguindo-se um retomar completo por parte de todas as topas!


Os restantes humanos que sobraram sentiam-se agora perdidos no meio da batalha titânica que se desenrolava. Kaiser, no entanto, mostrava-se apreensivo não com a guerra em si, mas com a presença de Raven neste mundo. Os seus objectivos permaneciam misteriosos e a sua ajuda para com os demónios não podia ter uma razão tão descontraída como aquela que foi dada. Mas o momento era grave e tinha que pensar num problema de cada vez, a Guerra ainda tinha que ser parada!
Zed manteve-se sereno, pois segundo o próprio, a segunda vaga de soldados estava perto e, por isso seria mais prudente aguardar por eles e só depois combater com toda a força. Alex não concordava totalmente com o General. Apesar de se mostrar algo nervoso e impaciente, ele também sentia que não podiam ficar apenas a olhar enquanto os seus companheiros eram usados como fantoches para eliminar os oponentes. Agora eles tinham que ser realistas e para parar a Guerra tinham que escolher um lado e levá-lo à vitória. Alex escolheu o lado dos Anjos, num apoio que terá de ser negociado.
Todos ficaram algo relutantes, afinal os Anjos não eram exactamente confiáveis, mas talvez fossem o mal menor, mas vendo o ar confiante de Alex e o quanto ele tinha amadurecido com o passar do tempo, os seus amigos, bem como Marian, sorriram e foram os primeiros a avançar prontos para o acompanhar. Kaiser abanou a cabeça em protesto, mas admitiu que não valia a pena discutir se a decisão estava tomada. Lily seguiu-o sem se mostrar minimamente surpreendida com a decisão.
Ao ver as suas armas secretas avançarem sem plano algum, mas sem qualquer tipo de dúvidas nas suas mentes, Zed estava a perder a paciência com tamanha irresponsabilidade, mas Papier afirmou que era assim que tinha de ser e garantiu que eles iriam aguentar até os reforços chegarem para então exterminarem completamente os demónios (o que não deixava de ser o seu objectivo original!).
Agora completamente fora de si, Zed gritava incessantemente para aguentarem e esperarem pelos reforços, mas era tarde demais. Papier já avançara acompanhado de Zack e com AK e Knox que lideravam o grupo sem medos, que se preparava para a missão das suas vidas.


Anjos e demónios lutavam com todo o poder, enquanto Bestas e Titãs causavam destruição em massa e alteravam a paisagem à sua volta, algo que acontecia com particular intensidade na luta mais intensa que ocorria: aquela que opunha Seraph e Lance.
O Rei Demónio era dotado de um poder impressionante, e o facto de não se importar de forma alguma com o corpo que possuía só o tornava mais perigoso, pois desta forma não tinha nenhum tipo de restrições. Já Seraph era um Líder muito experiente e tentava usar essa arma da forma como podia, mas a sua velocidade já era a mesma de séculos atrás e o jovem Rei começava a impor as suas Chamas Azuis sobre os seus Raios Dourados.
É num momento de particular violência, em que Lance consegue ganhar vantagem sobre Seraph e se preparava para o golpear naquele que seria um ataque decisivo, que quatro espadas lançadas consecutivamente se colocam entre os dois. Alex surgia, acompanhado de Chaos, e declarava o apoio da humanidade aos Anjos, isto se Seraph se comprometesse a tornar a protecção das pessoas no seu principal objectivo.
O Arcanjo mostrou-se feliz pelo apoio, e agradeceu a ajuda sem nunca o olhar directamente, pedindo em seguida a Alex que ajudasse a travar os zombies antes que roubassem as almas de mais soldados, caso contrário o número de oponentes só aumentaria. Levantou a cabeça e, num grito, ordenou ao Anjos que lutassem em conjunto com os humanos para levar de vencida a guerra! Lance manteve-se confiante e deixou que Alex partisse, sem se opor. A sua luta era com Seraph, e essa iria continuar!

A união entre Anjos e humanos estava a surtir algum efeito, mas os zombies estragavam as contas. Afinal, cada soldado que caía no campo de batalha atacado por eles, era transformado e trocava de lado quase imediatamente! Esta era uma das grandes forças do lado dos demónios, que desta forma não se arriscava em demasia numa batalha que parecia dominada!
Chaos, Mateus e Zeromus afastaram-se dos mestres e tentavam equilibrar as contas, usando o seu enorme poder para lidar com os grandes grupos de zombies e demónios que atacavam os soldados humanos, enquanto os EXtremes lidavam com os Príncipes Caídos e os Virtuosos que ainda lutavam entre si. Mas ainda faltava algo, tanto os Príncipes como os Virtuosos são sete, enquanto os EXtremes são, neste momento, seis, por isso os reforços que Papier esperava estavam a demorar tempo demais, mas esta era uma lacuna que estava prestes a ser suprida!

O som de helicópteros dominou a ilha. Mas estes não eram helicópteros comuns, eram os S.O.M.B.R.A., liderados por Roland Black, ladeado por Dani Shade, que calmamente se deixou cair na ilha, cortando dezenas de demónios em segundos!
Imediatamente a seguir, o grupo de elite dos Sombra, os NeroSlayers, juntaram-se aos soldados em campo, numa aliança bastante usual, mas que não era inédita. Roland juntou-se a Zed questionando-o sobre o número limitado de soldados que possuía, ao que Zed respondeu apontando para o oceano. Roland sorriu enquanto notava a aproximação de um porta-aviões que, de repente, começou a bombardear a ilha!
Roland ficou perplexo com tal ataque, afinal os seus homens podia ser atingidos pelo fogo “aliado”, mas Zed referiu que este era apenas o sinal da chegada da força definitiva, confirmando o que o Mafioso já temia: a derrota não era opção. Caso falhassem a sua missão, toda aquela zona seria devastada por ataques bélicos que eliminariam tudo e todos, ou pelo menos os mais fracos…
Minutos depois, a nova vaga de soldados chegava à ilha, liderada por dois velhos companheiros de Papier: Valliachi Val Gall Agher e Mallow Woman.
Com os sete EXtremes finalmente presentes e a força mais poderosa da humanidade, composta por soldados treinados e mafiosos experientes, finalmente completa, o contra-ataque da humanidade começava a mudar o rumo da batalha e o domínio demoníaco era travado.

Um a um, os Príncipes caíam derrotados pela força de Arcanjos e EXtremes e a união de Anjos, soldados e mafiosos conseguiram eliminar a maior parte dos zombies e começava a limpar o campo da batalha que parecia chegar ao fim. A luta entre Seraph e Lance permanecia num impasse sem vencedor à vista, mas o exército demoníaco estava à beira da derrota.
Lance não teve escolha a não ser admitir a vitória provisória dos Anjos e terminar o confronto, mas isso não queria dizer que ele se considerasse totalmente derrotado. Para ele, o objectivo principal fora atingido. Raven, a quem se referiu como o Guardião do Equilíbrio estava livre e ele iria unir os universos e reconstrui-los à sua imagem, e quando tudo estivesse terminado os demónios reinariam supremos!
Com estas palavras proféticas, Lance e o restante do seu exército retiraram-se sem glória, deixando Anjos e humanos rejubilantes com a sofrida vitória que alcançaram.


O ambiente que se fazia sentir agora era claramente positivo, mas a luta estava longe de terminada. Mesmo depois da batalha ter chegado ao fim, o céu continuava a abrira mais e mais janelas para os outros mundos, o que provava que a fusão continuava a decorrer freneticamente. Tais efeitos eram claramente originários da presença de Raven no nosso mundo e essa era uma situação que tinha que ser rapidamente travada, caso contrário o colapso dos universos seria inevitável.
Mas ninguém podia descansar ainda. Com mais e mais Bestas a atravessar para o nosso mundo era uma questão de tempo até que estas começassem a atacar os sobreviventes e surgiram duas que pareciam ser diferentes das restantes e que começaram a atacar soldados. Kaiser e Alex preparavam-se para as atacar quando foram travados. Papier e Shade intrepuseram-se rapidamente e impediram-nos de se aproximar delas. Papier estava com um enorme brilho nos olhos e alegremente garantiu que queria derrota-las para depois as levar para casa!
Kaiser não podia acreditar no que ouvia! O demónio apressou-se a explicar que aquelas bestas estavam claramente acima das suas capacidades e que era suicídio ataca-las sem preparação. Shade manteve-se sereno, mas Papier continuava muito animado. Quase sussurrando, o Mafioso disse a Papier que a Besta da direita era sua. Papier confirmou, pois a que ele queria era a da esquerda. Os dois partiram imediatamente para cima delas apenas para serem afastados violentamente, num único golpe e sem qualquer dificuldade. Nada que Kaiser não previsse.
Os jovens levantaram-se com algumas dificuldades, mas não perderam a boa disposição e voltaram ao ataque, apenas para serem novamente repelidos.
Kaiser observava tudo atentamente e não deixava de ficar espantado com a insistência da dupla que sempre se levantava sem se importar quantas vezes fosse afastada. Afinal, os seus oponentes não eram, de longe, comuns. O alvo de Papier era Bahamut, uma criatura alada, conhecido como o mítico Rei Dragão, que poucos demónios tinham sequer visto em séculos. Shade lutava com Odin, o Senhor da Noite, que se dizia controlar as tempestades e também era considerado lendário.
Os jovens atacaram sem cessar, provando a sua determinação de defender os amigos não importa qual o adversário, e eventualmente, depois de um tremendo esforço, conseguiram acertar com um golpe nas Bestas que se acalmaram e pararam de os atacar. Também os jovens cessaram os ataques e embainharam as espadas. Após alguns segundos em que as criaturas olharam silenciosamente os seus oponentes, ambas soltaram um enorme rugido, desvanecendo-se em seguida. A surpresa era geral, enquanto os jovens, em choque, tentavam perceber o que se tinha passado. Kaiser e Seraph não podiam acreditar que tais Poderes tinham aceitado a impressionante determinação dos jovens e decidiram emprestar-lhes o seu poder.


Shade e Papier juntaram-se ao grupo de sobreviventes que tinham agora um novo objectivo: encontrar e destruir Raven das Chamas Negras e voltar a desunir os Universos.
Este seria o derradeiro teste da humanidade. O teste que Red Roger previra e que tentou evitar a todo o custo mas sem sucesso. Seraph sabia que para Raven atingir os seus objectivos teria de encontrar uma grande fonte de poder, a Alma Humana. Os Anjos irão encarregar-se de proteger as pessoas do planeta, mas isso não resolve o problema. Com esta atitude, o Mundo dos Anjos, Edenia, ficará desprotegido e, devido à grande quantidade de almas puras aí presentes, ataca-lo seria o passo lógico que o Jubilee tomaria.
Este seria o momento em que a Aliança teria que o atacar e derrotar. Este seria o momento em que não poderiam de forma alguma falhar. A desforra dos demónios era algo que também atrapalharia, mas os Anjos lidariam com isso. O trabalho dos humanos escolhidos era outro. O trabalho dos EXtremes era parar Raven.

Continua na 5.ª e última parte...


Comentários
4 Comentários

4 Comentários :

  1. Room401 disse... :

    Guerra épica como previsto e a batalha final deve ser ainda melhor. Vamos ver como vai ser!

  1. Alexandersson disse... :

    Muito fixe, só faltou a morte de alguém importante e era perfeito!

  1. Denim disse... :

    Muito bom e a parte final então... Bahamut e Odin FTW!!!

  1. Boas pessoal, ainda bem que gostaram destes desenvolvimento, espero que a parte final também seja do vosso agrado. Aguardem, está quase aí ;)

    Beijinhos e/ou abraços

Enviar um comentário

Não se esqueçam de deixar as vossas opiniões, porque há sempre uma palavra a dizer, por mais pateta que possa parecer! xP

 
The Grand Chaos © 2012 | Ready To Rock