● All Hell Breaks Loose: Revelations - 3.ª Parte

11 maio, 2012


Nos dias que se seguiram à alta de Alex a cidade mantivera-se estranhamente pacífica. Não havia sinal de zombies, demónios, anjos nem nada que se parecesse com isso.
A situação era tão calma que Kaiser deu uma folga a Alex e este pôde finalmente passar algum tempo livre do demónio, o que foi um verdadeiro tónico para o jovem que quase se sentia a viver os velhos tempos.

Sol de pouca dura. Numa noite, enquanto se divertia num bar com os amigos, Alex foi abordado por uma jovem que aparentemente se estava a fazer a ele. Alex voltou-se para ela apenas para ficar petrificado com a visão que tinha à sua frente. O cabelo azul e os olhos claros não enganavam, Marian estava sorridente à sua frente e estava interessada em falar com ele.
Sem escolha, Alex levou-a para a rua e foram andando enquanto falavam. Os amigos não deixaram de ficar impressionados com a “conquista” de Alex.


Marian mostrou-se algo apreensiva durante a conversa. Desde aquele encontro na igreja e a explosiva aparição de Ramiel, que ela sentia que algo não estava bem e por isso manteve o jovem debaixo de olho durante aqueles dias. A relação entre Alex e Kaiser era algo que não imaginara e o facto de o demónio deixar o jovem à vontade para fazer o que quisesse era algo que escapava à sua compreensão. Alex explicou que nem sempre foi assim, mas Kaiser amoleceu um pouco com o passar do tempo e os dois agora partilham de uma quase amizade que tornou os recentes acontecimentos um pouco mais toleráveis. No entanto Marian não se dirigiu a ele para falar da sua relação com Kaiser.
Marian ficou alguns segundos em silêncio e acabou por admitir que depois do que se passou estava a ter algumas reservas em relação a Ramiel e depois de ter observado Alex nos últimos dias acabou por concluir que ele não tinha qualquer malícia e por isso talvez pudesse falar com ele. A verdade é que o arcanjo passava muito tempo com as suas experiências secretas e isso começava a assusta-la um pouco e Ramiel estava a distanciar-se cada vez mais do Mestre que conhecera em tempos. Ela estava obrigada a obedecer-lhe cegamente, mas as suas últimas acções têm-na feito pensar se a sua conduta tem sido a mais correcta.
Alex não sabia o que dizer. Ele tinha feito Kaiser prometer que se afastariam dos anjos e agora estava a conversar calmamente com um deles. Marian devia estar mesmo muito preocupada para decidir vir falar com o “inimigo”. Depois de um silêncio algo constrangedor, a jovem agradeceu a Alex pela conversa e garantiu que iria arranjar forma de libertá-lo de Kaiser para que pudesse voltar à sua vida normal. Despediu-se com um sorriso e desapareceu.

No dia seguinte Kaiser notou que algo se tinha passado com Alex. O jovem tentou esconder mas o olhar penetrante de Kaiser era implacável e o jovem acabou por lhe contar da conversa que teve com Marian. Depois de ouvir a explicação de Alex, Kaiser perguntou apenas se queria fazer algo em relação a isso. Alex demorou a responder. Kaiser declarou que nem todos os anjos são benignos tal como nem todos os demónios são malignos. O mundo não é a preto e branco e Ramiel está longe de ser o anjinho da guarda que protege as pessoas na noite escura.
Depois do que vira antes Alex viu-se forçado a concordar e a preocupação de Marian pareceu-lhe completamente legítima. Apesar da promessa que fizera dias antes, talvez devessem fazer algo em relação ao arcanjo. Kaiser permaneceu sério e por fim confirmou que com promessa ou não ele iria eventualmente procurar Ramiel para acabar com ele. Ele decidiu apenas esperar um pouco para permitir que Alex fizesse a sua decisão enquanto Lily procurava por traços do arcanjo, o que finalmente acontecera!
O jovem ficou estupefacto e voltou a ver aquele ser flamejante à sua frente como um verdadeiro demónio que tudo fará para conseguir aquilo que quer e que não respeita nada nem ninguém. Kaiser alegremente declarou que na noite seguinte iriam infiltrar-se no laboratório de Ramiel e destruir o arcanjo de uma vez por todas. Essa era a única coisa a ser feita! Alex sentiu-se fraquejar e não tem memórias do restante desse dia.


Kaiser chamou Lily e os demónios transportaram-se até à pequena colina onde o velho laboratório se encontrava. Kaiser entrou sorrateiramente mas o velho edifício parecia vazio. Ter-se-iam enganado?! Lily tinha a certeza que que Ramiel se encontrava ali e a demónio raramente falhava em missões de reconhecimento, por isso teria de haver uma passagem para um andar subterrâneo, essa era a única explicação. Quando procuravam por algo que os deixasse avançar, notaram uma luz que lentamente se tornava mais forte. O chão da velha casa começou a ceder e sucumbiu com um estrondo quando a luz se desfez em relâmpagos e Marian emergiu à sua frente.
A jovem fixou Kaiser e o Demónio notou a sua hostilidade. A Anjo não podia deixá-los passar, por mais que fosse esse o seu desejo e por isso teriam que enfrentá-la. Colocando-se entre o seu Mestre e Marian, Lily estava preparada para o confronto. Kaiser avançou em silêncio e saltou para o buraco criado pela Anjo. A luta entre as duas começava.

Após alguns segundos de queda livre, Kaiser atingiu por fim o solo e não escondeu o seu espanto pelo enorme aparato tecnológico que havia à sua volta. Não pôde observar com toda a atenção porque o alarme soou imediatamente e viu-se rodeado de Anjos prontos para o destruir. Kaiser não teve que se esforçar muito para os eliminar, até porque o corpo de Alex parecia mais leve e estava claramente mais resistente. Efeitos do enorme esforço que sofrera dias atrás ou talvez algo mais? Sem se preocupar muito com tais questões no momento, Kaiser deslocou-se rapidamente até ao fim do corredor. Destruiu a porta que se encontrava à sua frente e o que viu a seguir deixou-o sem reacção.
A sala em que se encontrava era um enorme armazém recheado de tanques com pessoas no seu interior, as cobaias para as experiências do Arcanjo!
Ouviram-se passos vindos da sombra e Ramiel emergiu por fim. O Arcanjo não se mostrou surpreso por vê-los naquele local, muito pelo contrário, e Kaiser percebeu imediatamente o que se tinha passado. Eles tinham conseguido encontra-lo porque Ramiel queria ser encontrado. De facto, o Arcanjo queria que eles tivessem vindo. Foi por essa razão que ele pedira a Marian para monitorizar Alex e também por isso a deixou entrar naquela sala, sabendo que ela não ia aguentar aquela visão e por isso iria conduzi-los até lá.
Kaiser não tinha interesse na história que Ramiel contava, apenas queria acabar com ele, mas ficou incomodado com a reacção, ou falta dela, por parte de Alex. O jovem permaneceu silencioso e imóvel no seu inconsciente ao contrário do que sempre acontece, quando se mostra nervoso e medroso, mas desta vez ele simplesmente não reagiu, quem sabe para não atrapalhar Kaiser, que se preparava para por fim desafiar Ramiel, o Arcanjo caído na Sombra.

Kaiser atacou imediatamente Ramiel e desta vez conseguiu usar muito mais poder que inicialmente, talvez porque Alex não estava a tentar travá-lo, e desta forma conseguiu lutar de igual para igual com o Arcanjo. Ramiel permaneceu na defensiva, para avaliar o poder do seu oponente, mas não se mostrou preocupado, mesmo quando estava claramente em desvantagem. A verdade é que este poder de Kaiser era um dado novo e isso incomodaria qualquer um, mas Ramiel permaneceu calmo.
O Demónio conseguia esquivar-se dos ataques do Arcanjo e a luta parecia bem encaminhada para o seu lado, mas algo não estava bem, pois o seu oponente parecia estar apenas a testá-lo, sem nenhuma vontade de acabar com ele e o seu sorriso irritante continuava a deixá-lo nervoso.
Kaiser decidiu acabar com tudo no golpe seguinte e por isso carregou o seu ataque mais poderoso, o Burning Red, uma bola de fogo que se assemelha a um pequeno Sol, mas cuja expansão após o lançamento provoca danos extremos. Ramiel permanece imóvel, pronto para receber o ataque, quando Kaiser percebe uma presença hostil nas suas costas. Consegue desviar-se a tempo de evitar uma esfera carregada de electricidade que só podia pertencer a uma pessoa, Marian.
A jovem voa rapidamente para se colocar entre o demónio e o Arcanjo, clamando para que Kaiser pare com o ataque. Ramiel interroga-a do porquê deste acto de protecção quando foi ela quem os trouxe aqui. Marian exclama em lágrimas que nunca quis que o seu Mestre fosse ferido ela apenas sentiu que o que Ramiel estava a fazer era errado. Ramiel interrompeu-a declarando ironicamente que nesse caso o melhor para resolver as coisas era chamar um demónio para concluir o serviço. A expressão de Ramiel torna-se marcadamente obscura. Marian fica incrédula com as palavras do Arcanjo e é Alex que responde ao Arcanjo.
O jovem afastou Kaiser apenas com a sua força de vontade e defende Marian argumentando que ela nunca pediu ajuda nem a um demónio nem a ninguém. Ela apenas desabafou com um amigo sobre algo que a atormentava, e ele, como amigo, é que decidiu fazer os possíveis para a ajudar. Essa era a única razão porque ele, Alexandre Drago, estava ali.


Ramiel manteve a expressão obscura e dirigiu-se a Marian, congratulando-a por ter conseguido fazer um amigo, algo que poucos anjos se podiam gabar de ter. Mas Marian também cometeu o pecado capital que nenhum Anjo podia cometer, traiu o seu Mestre, e por isso iria ser castigada.
Ao dizer estas palavras e com um sorriso aterrador rasgado no rosto, Ramiel virou a jovem de costas para si e, num movimento tão rápido quanto violento, arrancou a asa esquerda das costas de Marian que caiu, gritando em agonia na poça que se criava com o seu sangue.
Alex correu a ajudá-la sem saber bem o que fazer para aplacar as suas dores, enquanto Ramiel se afastou, sentando-se num trono ligado a uma máquina enorme. Ligou vários terminais aos braços, peito e cabeça e todos os tanques que se encontravam na sala se iluminaram. Alex olhou ao seu redor em choque, e observou impotente, as pessoas aprisionadas transformarem-se em zombies, enquanto as suas almas eram removidas dos seus corpos e transportadas para Ramiel que as absorvia em êxtase.


Alguns segundos depois tudo voltou a ficar silencioso. Alex ainda tinha Marian nos seus braços, ela que agora estava inconsciente, provavelmente devido ao choque e às dores. À sua volta, Alex começou a ouvir algo a rachar e por fim a partir... Os Sem-Alma tinham conseguido destruir os tanques e tentavam recuperar as almas perdidas, alimentando-se do que encontravam no seu caminho.
Ramiel, ainda sentado no trono e com o seu poder exponencialmente maior, observava sorridente o destino dos jovens.

Alex levantou-se, e nunca largando Marian, sussurou, pedindo a Kaiser que não interessava o estado em que o seu corpo ficasse, desde que ele destruísse Ramiel e salvasse Marian. A plenos pulmões gritou em seguida que tudo o resto era irrelevante!
Ramiel levantou-se ainda a sorrir e vislumbrou o aparecimento de um enorme pilar de chamas douradas que envolveram Alex, enquanto a máscara de Kaiser aparecia no rosto do jovem que, com toda uma nova determinação, partia para a sua batalha decisiva!


Continua na 4.ª Parte...

Comentários
5 Comentários

5 Comentários :

  1. Alexandersson disse... :

    Tenho-te a dizer que isto foi uma das coisas mais fodásticas que já escreveste. Ramiel vilão do catano! Que a quarta parte lhe dê o final que ele merece!!

  1. Room401 disse... :

    A história está muito boa acho que ninguém esperava que desse a volta que deu. Kaiser FTW!

  1. Rute disse... :

    Só tu para agredires assim um personagem tão fofinho como a Marian. Agora é bom que não a mates^^

  1. Winchester disse... :

    Cada vez melhor! Ainda mais curioso para ler o resto!

  1. Obrigado pelos comentários pessoal e fiquem atentos, porque estamos a chegar finalmente ao clímax da história e vêm aí mais surpresas a preparar as possíveis (...) sequelas!

    Beijinhos e/ou abraços!

Enviar um comentário

Não se esqueçam de deixar as vossas opiniões, porque há sempre uma palavra a dizer, por mais pateta que possa parecer! xP

 
The Grand Chaos © 2012 | Ready To Rock