● "Le Papier Raising Hell: 5WAT" - 3.ª Parte

14 maio, 2010

Está concluída mais uma aventura fantástica em "Le Papier Raising Hell: The 5WAT"!
Roland Black, o poderoso agente inimigo foi capturado e é necessário interrogá-lo para que os nossos heróis possam descotinar a localização da Sede dos SOMBRA e destruí-la. Será este o fim?!

Se não leram as primeiras partes da história, podem fazê-lo AQUI e AQUI respectivamente.

Já sabem que podem ler a primeira trilogia de "Le Papier" em:
"Le Papier", "Le Papier Returns" e "Le Papier Strikes Back".



Após a captura de Roland, Le Papier reuniu-se com os restantes elementos do grupo na sua agência, a Grand Chaos, para decidir o que fazer a seguir. Ao chegar ao escritório, Jess estava à sua espera, visivelmente irritada por Papier ter partido para Lisboa em missão sem a ter informado devidamente, tendo deixado apenas um bilhete escrito. Papier já se preparava para ser agredido quando Jess se acalmou subitamente ao notar a presença do recluso Roland.

Quando os Cinco estão por fim reunidos, Roland não consegue disfarçar a sua cara de surpresa ao vê-los a todos inteiros e estes decidem comunicar ao General Zed o resultado da missão. Zed fica muito satisfeito por finalmente terem deitado a mão a um dos mais procurados agentes inimigos e por poderem usá-lo para obter informações valiosas sobre os SOMBRA. Zed incumbiu os seus agentes de maior confiança com a missão de viajarem até Coimbra para transportarem Zed para uma localização segura, a qual deverá permanecer secreta. Era o fim da missão para os jovens.

Roland tinha no entanto outros planos. Dizia ter conhecimento de uma célula da Aliança na cidade, aliás era esse o propósito da conferência que conduziu na Universidade: procurar novos talentos e introduzi-los na Sociedade, sendo que o Líder estava sempre presente nesses acontecimentos. Roland poderia dar todas as informações referentes à célula, mas para isso queria imunidade e protecção. Papier advertiu-o que divulgar estas informações da forma como o fez não foi uma atitude inteligente, uma vez que Knox era um exímio conhecedor de artes marciais orientais, pelo que conhecia formas muito dolorosas de fazer as pessoas deitar tudo cá para fora, literalmente.
O agente não se mostrou impressionado, calculando que Papier estivesse a fazer bluff, mas Knox mostrou-se um pouco ansioso e com um ar algo alucinado, como se estivesse apenas à espera que o grupo desse aprovação, para poder “tratar” de Roland. Este começou a ficar nervoso e ao notar a aparente indiferença dos restantes em torturá-lo ali e naquele momento, acabou por ceder mal viu Knox dar um passo em frente e acabou por dizer tudo o que sabia.

Após ouvirem tudo o que Roland tinha para contar, Papier e os restantes fecharam-no num armário e deliberaram o que iriam fazer a seguir. Esta era uma oportunidade única para destruir a Aliança, capturando o seu Líder. Com essa captura rapidamente saberiam quem faz parte das suas fileiras podendo desmantelá-la sem dificuldades de maior, embora por outro lado Roland já se havia revelado um grande manipulador e poderia estar a enviá-los para uma armadilha. A actuação de Papier e Knox acerca da tortura foi brilhante, mas isso não quer dizer que o agente dissesse toda a verdade. Tendo em conta que elaborar três atentados apenas para os atrair e tentar destruir não parece dar-lhe problemas de consciência, o que poderia fazê-lo?
Por fim decidem investigar a localização que Roland divulgou, mas apenas depois de este ser levado para Lyon, e de informarem o General Zed da nova informação que lhes foi dada.

Com o aval do General e com Roland num avião a caminho da prisão, os Cinco podiam agora concluir um trabalho que tomou vários meses de intensas investigações. Nessa noite levam a cabo esta missão e tudo culmina num armazém… vazio.
A localização que Roland havia concedido era um beco sem saída! Levava os jovens até um complexo de armazéns abandonados e aquele que ele havia indicado como a entrada da Sede da Aliança estava vazio. A única coisa que havia naquele imenso espaço era uma máquina de café encostada à parede.
AK estava possesso por ter sido gozado daquela forma por Roland e garantiu que iria tratar dele pessoalmente. Enquanto os quatro rapazes discutiam sobre como foram enganados por Roland, Mallow decidiu aproveitar que a máquina estava ali e serviu-se de um café curto.
Eventualmente os ânimos acalmaram e Papier decidiu também ele fazer uso da máquina, mas pediu para si um “carioca de limão”. Mal o fez, a máquina e todo um pequeno perímetro à sua volta entraram em rápida rotação e Papier foi desta forma transportado para o lado oposto da parede. Estupefactos com o que acabaram de ver, não foi difícil ao grupo chegarem à conclusão que a passagem secreta que dava acesso à Sede da Célula era activada quando alguém pedia um “carioca de limão”… Afinal quais são as hipóteses de alguém realmente pensar num pedido desses?

Do outro lado da parede havia apenas um pequeno elevador, no qual o grupo entrou. Sem botão algum onde carregar, foram automaticamente conduzidos a um nível subterrâneo do armazém, onde os esperava uma recepção “calorosa”.
Vários guardas que estavam a proteger o elevador prepararam-se para disparar em quem viajasse nele, fosse inimigo ou não. No entanto quando o elevador abriu as portas, este vinha vazio. Os inimigos acham estranho e dois deles vão lá dentro verificar, concluindo que devia ser um qualquer erro do sistema e lançando pragas ao técnico que fez a última verificação. Nisto, abre-se o pequeno tejadilho do elevador e, um a um, os Cinco posicionam-se para a destruição. Quando os agentes inimigos notaram algo de estranho era já tarde, pois já a dança de balas os havia eliminado.

O caminho a seguir estava traçado, havia um único corredor, mas poucos soldados, como se esta localização estivesse reservada apenas aos agentes de Rank mais elevado. De vez em quando lá aprecia algum guarda que ouvia passos, mas era rapidamente despachado por alguém do grupo.
Eventualmente chegam ao fim do corredor, onde apenas encontram uma porta. Abrem-na silenciosa e cuidadosamente. Lá dentro havia vários agentes inimigos corpulentos apanhados de surpresa, a guardar um homem mais velho que se encontrava na sua secretária em frente a um computador, onde parecia comunicar com alguém.
Haviam encontrado o Líder dos SOMBRA. O velho empresário estava possesso por tanta segurança profissional não conseguir parar um pequeno grupo de jovens de entrar na Sede da Célula. Papier ordena-lhe que se afaste do computador, mas o velhote ainda consegue premir uma pequena combinação de teclas que provoca o apagamento do disco rígido do portátil e desta forma neutralizar qualquer fonte adicional de informação que pudesse ser útil à Interpol. AK e Knox não gostam da atitude, mas de qualquer forma o Líder já não lhes escapa. Neutralizam os outros inimigos e levam-nos presos.

Ao saírem do armazém são surpreendentemente recebidos pelo General Zed em pessoa e pelo seu Esquadrão de Elite que tinha acabado de fazer o reconhecimento do local. O Líder e os agentes inimigos seguem em silêncio e são levados pelo Esquadrão, enquanto toda a área é inspeccionada para terem a total certeza de que nada lhes escapa.
Há, no entanto uma notícia pouco agradável, o avião onde Roland seguia foi abatido e aparentemente sem deixar sobreviventes. Suspeita-se que tenha sido o Líder a dar a ordem, ao saber que Roland havia sido capturado. Sabe-se agora que Roland era o Número 2 da Aliança, pelo que com o Líder preso e o seu braço direito morto, os SOMBRA tinham agora os dias contados.

O grupo decide combinar uma saída para comemorar, pelo que Papier decide levá-los ao Avalanche 21, mas tem de regressar para buscar Jess, sob pena de levar novamente na cabeça, e Sophia, pois prometeu contar-lhe todos os pormenores da operação assim que esta estivesse concluída. Combina encontrar-se com a advogada na Grand Chaos para apanhá-la primeiro. Quando Papier chega, Jess avisa-o que recebeu uma encomenda. O jovem acha estranho pois não pediu nada e ao abri-la encontra apenas um DVD. Com um mau pressentimento, coloca-o no leitor e vê tratar-se de uma mensagem de Roland.
Na mensagem, Roland agradece a Papier e ao grupo a competência do seu trabalho e congratula-os pela captura do Líder. Papier percebe então que Roland esteve sempre no controlo dos acontecimentos desde o início, permitindo que AK e Knox o descobrissem, na forma como os atraiu para os atentados e se deixou capturar, embora esperasse que os seus homens conseguissem eliminar alguns dos Cinco, para depois conduzir os restantes ao Líder, para que este fosse capturado. Agora pode finalmente assumir o comando da Aliança SOMBRA e passar ao ataque para desta forma concluir o seu plano para controlar o mundo. Despede-se pedindo a Papier para se afastar enquanto pode desta luta que considera fútil, caso contrário não hesitará em exterminá-lo.

Quando se pensava que tudo tinha acabado, voltamos à estaca zero. A SOMBRA ainda paira intensamente sobre o mundo e o combate tem que continuar.
Le Papier não fica contente ao saber que foi apenas uma marioneta nas mãos de um megalomaníaco maquiavélico, mas sorri, pensando que teria sido fácil demais. Roland revela-se um verdadeiro adversário, como nunca havia encontrado. Um verdadeiro mestre da simulação que deve ser destruído a todo o custo. Pega no DVD e dirige-se com Jess para apanhar Sophia e ir ter com os amigos para festejarem esta "vitória" e contar-lhes que afinal o confronto com os SOMBRA não só vai continuar como se tornou mais perigoso que nunca.

Para os 5 Wild Attack Trooper ainda há trabalho a fazer!...

Comentários
9 Comentários

9 Comentários :

  1. Room401 disse... :

    Finalmente acabaste-a. Isso é que uma maratona hã?! Mas ficou fixe. Continua com boas ideias para continuares as histórias!

  1. Denim disse... :

    Muito bom. Vê se fazes uma continuação nisto está cada vez melhor!!

  1. Dih disse... :

    Mais um episódio que chega ao fim. Mas será que algum dia vais acabar isto? x,D

  1. Joana S. *-* disse... :

    SIm, tens razão :b
    Green day, e lindoo :D

    Estive agora a actualizar-me no teu blog, adorei ;)

  1. Muito bom.
    Parabéns.

  1. Carla Santos disse... :

    Claro!Fazer anos é sempre optimo e sim,em tempo de queima acredito que tenha um sabor ainda mais especial!;D
    Tens que aproveitar todos os anos!=p

  1. Silva disse... :

    Acabaste isto em grande, agora é esperar pelos próximos capítulos. Força nisso!

  1. Rute disse... :

    Já á um tempo que não vinha aqui mas deu para ver que não perdeste o jeitinho. Parabéns :p

  1. É bom saber que continuam a apreciar estes disparos de maluquice que de vez em quando emanam da minha pessoa. Posso ainda adiantar que está planeada uma trilogia (que é como quem diz mais dois episódios), e a próxima aventura será lançada talvez durante o Verão.

    Muito obrigado pelos vossoa comentários e pelo vosso apoio ao blogue.

    Fiquem todos muito bem!

    Beijinhos e/ou abraços!

Enviar um comentário

Não se esqueçam de deixar as vossas opiniões, porque há sempre uma palavra a dizer, por mais pateta que possa parecer! xP

 
The Grand Chaos © 2012 | Ready To Rock